Baixada Santista registra caso de dengue hemorrágica

Um homem de 30 anos está internado desde segunda-feira em um hospital de Santos com suspeita de ter contraído dengue hemorrágica. Se os exames laboratoriais, que estão sendo realizados pelo Instituto Adolfo Lutz, confirmarem a doença, seria a primeira vítima da forma hemorrágica da dengue, que já vem sendo considerada uma epidemia na região, uma vez que 1.048 pessoas foram infectadas, somente este ano, na Baixada Santista.De acordo com levantamento da Direção Regional de Saúde (DIR-19), São Vicente é a cidade que detém o maior número de casos, com 509 doentes; seguida de Santos, com 408; Cubatão, com 65; Praia Grande, com 37; Guarujá, com 32; Bertioga, Itanhaém e Peruíbe, com um caso cada uma.Antes mesmo de surgir o primeiro caso suspeito da forma hemorrágica da doença, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) já havia preparado um protocolo de atendimento, distribuído à rede de policlínicas e prontos-socorros, chamando a atenção para as ocorrências de sangramento nasal, fezes escuras e vômitos freqüentes, acompanhados de sintomas característicos da dengue clássica, como febre, dor de cabeça e mal-estar geral.Os hospitais da rede pública e privada, segundo informa o secretário de Saúde, Tomas Soderberg, por intermédio de sua assessoria, estão treinados e capacitados para atender um eventual aumento de casos. No próximo dia 1º de março, por iniciativa do prefeito Beto Mansur (PPB) será realizado um encontro de prefeitos e secretários de Saúde de todo o Estado, objetivando estabelecer estratégias para enfrentar o avanço da epidemia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.