Heliana Frazão/Estadão
Heliana Frazão/Estadão

Baianos vão às ruas em defesa de Bolsonaro e da reforma da Previdência

Manifestação terminou por volta do meio-dia e concentrou pautas comuns a atos em outras cidades do País, como a defesa do pacote anticrime e da reforma da Previdência

Heliana Frazão - Especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2019 | 15h06

SALVADOR - A orla da Barra, em Salvador, se cobriu de verde e amarelo na manhã desse domingo, 26, para manifestação em defesa de pautas do governo Bolsonaro. Entre elas, a aprovação da reforma da Previdência, do pacote anticrime do ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro, além da instalação da chamada CPI da Lava Toga. Um trio elétrico acompanhou os manifestantes.

Nem a organização do evento, nem a Polícia Militar fizeram estimativa de público. Poucos parlamentares participaram do manifesto. Em cima do trio, apenas a deputada federal e presidente do PSL na Bahia, Professora Dayane Pimentel, e o deputado estadual da mesma sigla Capitão Alden. Eles revezavam o microfone com outras lideranças do protesto, na defesa das pautas citadas durante o ato.

Dayane pregou a importância dos protestos como forma de fazer o Congresso ouvir a voz do povo. "Se Deus quiser, depois dessas manifestações eles entenderão o recado", previu. 

Não faltaram gritos de "Eu vim de graça", "Essa manifestação é espontânea", nem críticas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao Partidos dos Trabalhadores e ao governador da Bahia, Rui Costa, que é do PT. 

A concentração começou por volta das 9h, e às 10h30 os manifestantes saíram em caminhada até o Morro do Cristo, percorrendo cerca de 1km. Eles levavam bandeiras do Brasil, faixas e cartazes com frases do tipo "Centrão, Parlamentarismo branco, não", "Reformas Já" e "O Brasil está com Bolsonaro". Durante o trajeto, por duas vezes eles pararam e entoaram o Hino Nacional.

Mostrando animação, a aposentada Ana Cristina Silva, de 68 anos, disse que participava do evento por amor ao Brasil. Já o motorista Marivaldo Nascimento Melo, 59, que levou a família para a rua,  afirmou que sua presença era uma forma de mostrar ao Centrão "que existem homens dignos e honestos no País, que estão em defesa do governo e do Brasil". O filho dele, Miquéias Melo, de 18 anos, tinha como objetivo mandar um recado ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia: "O País está de olho em você. Queremos a aprovação das reformas importantes ao País". 

A ex-bancaria Ivonete Lins, de 70 anos, mostrava-se determinada. Vestida com uma camiseta com estampa do rosto do presidente Jair Bolsonaro, carregando uma placa também com a imagem do presidente, e usando uma máscara do ministro Sérgio Moro, ela defendia "um Brasil melhor e sem corrupção" para os seus netos.   

Por volta do meio-dia, o ato na capital baiana chegou o fim. No Estado, houve manifestações também nas cidades de Feira de Santana, Itabuna, Juazeiro e Vitória da Conquista.

Tudo o que sabemos sobre:
Salvador [BA]Jair Bolsonaro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.