Babá acha que não será expulso do PT por votar contra reforma

O deputado federal João Batista de Oliveira Araújo, o Babá (PT-PA), voltou a afirmar hoje que não votará favoravelmente à reforma da Previdência apresentada pelo governo Lula ao Congresso. "Não tem porque nos ameaçarem de expulsão mesmo votando contra essa reforma como vamos fazer", disse ao chegar à sede do diretório nacional do PT, em São Paulo, onde começa hoje a análise na Comissão de Ética do partido para avaliar a expulsão dele, da deputada federal Luciana Genro (PT-RS) e da senadora Heloísa Helena (PT-AL). Babá, da chamada ala radical do PT, criticou o fato de que o debate em torno da reforma ter ficado restrito ao Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social e aos governadores. "O debate não foi feito na base partidária. Espero que a decisão da direção seja coerente com o fato de que estamos defendendo um programa, que eles também defenderam nos últimos anos, contra a reforma da previdência", disse Babá. "Não podemos aceitar essa reforma comandada pelos banqueiros e pelo FMI, que querem a abertura dos fundos de pensão complementar". O deputado petista garante que não se sente intimidado pelo julgamento na Comissão de Ética. "Vou continuar como dirigente sindical e como parlamentar defendendo os interesses que sempre defendi", afirmou. Ele cobrou do presidente Lula que colocasse o debate sobre a reforma para toda a sociedade e lembrou que o presidente é quem mudou de posição defender a reforma.Neste domingo, a Comissão de Ética ouvirá as testemunhas de defesa dos parlamentares. A decisão final da expulsão ou não dos parlamentares será tomada em setembro, na reunião do Diretório Nacional. Os nomes das testemunhas de acusação e defesa não foram revelados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.