Aziz aciona Polícia Federal por panfleto apócrifo

O governador do Estado do Amazonas e candidato à reeleição, Omar Aziz (PMN), entrou hoje com pedido de investigação junto à Polícia Federal (PF) e ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sobre a autoria de pichações e a distribuição de panfletos apócrifos em Manaus e nos municípios de Humaitá e Tabatinga que o acusam de ter feito sexo com uma menor. Em entrevista coletiva, Aziz explicou que não iria pedir investigação às polícias Civil e Militar por estarem subordinadas ao governo e, assim, evitar acusações de uso da máquina.

LIÉGE ALBUQUERQUE, Agência Estado

30 de agosto de 2010 | 18h43

"Estou sereno da minha inocência e nenhuma dessas sujeiras vão aparecer no horário eleitoral gratuito, vamos continuar mostrando propostas", afirmou. Para o candidato, as pichações e os panfletos "coincidentemente" surgem quando pesquisas demonstram sua liderança.

Desde o início de agosto, bancos de pontos de ônibus em algumas regiões de Manaus são pichados com as palavras "Omar Sujo" e "Omar Pedófilo". Também são distribuídos panfletos afirmando que Aziz seria culpado em caso analisado na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou episódios de exploração sexual infantil no País em 2004.

Na época, Aziz foi acusado de envolvimento sexual com uma garota de 15 anos. O nome do parlamentar foi retirado do relatório final a pedido do senador Artur Virgílio (PSDB).

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2010AMOmar AzizpedofiliaPF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.