Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Azeredo se diz 'injustiçado' e afirma nunca ter cometido crimes

Na avaliação dele, que ainda hoje terá seu último recurso julgado pela Justiça estadual,  houve falhas na condução do processo

Entrevista com

Eduardo Azeredo, ex-governador de Minas

Leonardo Augusto, especial para O Estado de São Paulo, O Estado de S.Paulo

22 Maio 2018 | 11h44

BELO HORIZONTE- o ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB) disse na manhã desta terça-feira,22, se sentir "injustiçado" no processo do mensalão mineiro. Na avaliação dele, que ainda hoje terá seu último recurso julgado pela Justiça estadual,  houve falhas na condução do processo, que o condenou a 20 anos e um mês de prisão por peculato e lavagem de dinheiro.  Caso seja derrotado hoje, o Tribunal de Justiça  de Minas Gerais (TJMG) já poderá determinar a prisão do tucano. A sessão está marcada para as 13h30.

+Juíza condena Clésio Andrade no mensalão mineiro

O senhor se sente injustiçado? 

Evidentemente que sim. Nunca cometi nenhum crime. A população de Minas Gerais conhece minha vida a fundo. Sou absolutamente inocente. 

A condução do processo, pela Justiça e pelo MP, apresentou falhas? Quais?

Sim. Inúmeros depoimentos que me inocentaram não foram reconhecidos. Houve extrapolação da acusação. Irei recorrer à instâncias superiores. 

O senhor vem tendo apoio do PSDB? Recebeu ligações de integrantes do partido? Quem telefonou?

Recebi apoio de inúmeros amigos e apoiadores, muito embora tenha deixado a vida pública em 2014. 

Acha que alguém mais deveria estar sendo julgado no Mensalão Mineiro? Quem?

Quem deveria já não está sendo mais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.