Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Azeredo se diz 'injustiçado' e afirma nunca ter cometido crimes

Na avaliação dele, que ainda hoje terá seu último recurso julgado pela Justiça estadual,  houve falhas na condução do processo

Entrevista com

Eduardo Azeredo, ex-governador de Minas

Leonardo Augusto, especial para O Estado de São Paulo, O Estado de S.Paulo

22 Maio 2018 | 11h44

BELO HORIZONTE- o ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB) disse na manhã desta terça-feira,22, se sentir "injustiçado" no processo do mensalão mineiro. Na avaliação dele, que ainda hoje terá seu último recurso julgado pela Justiça estadual,  houve falhas na condução do processo, que o condenou a 20 anos e um mês de prisão por peculato e lavagem de dinheiro.  Caso seja derrotado hoje, o Tribunal de Justiça  de Minas Gerais (TJMG) já poderá determinar a prisão do tucano. A sessão está marcada para as 13h30.

+Juíza condena Clésio Andrade no mensalão mineiro

O senhor se sente injustiçado? 

Evidentemente que sim. Nunca cometi nenhum crime. A população de Minas Gerais conhece minha vida a fundo. Sou absolutamente inocente. 

A condução do processo, pela Justiça e pelo MP, apresentou falhas? Quais?

Sim. Inúmeros depoimentos que me inocentaram não foram reconhecidos. Houve extrapolação da acusação. Irei recorrer à instâncias superiores. 

O senhor vem tendo apoio do PSDB? Recebeu ligações de integrantes do partido? Quem telefonou?

Recebi apoio de inúmeros amigos e apoiadores, muito embora tenha deixado a vida pública em 2014. 

Acha que alguém mais deveria estar sendo julgado no Mensalão Mineiro? Quem?

Quem deveria já não está sendo mais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.