Azeredo reafirma inocência e nega mensalão mineiro

O senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) reafirmou hoje (30) inocência no suposto desvio de recursos, também com a participação do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, para financiar políticos mineiros durante sua campanha frustrada de reeleição ao Palácio da Liberdade, em 1998. Segundo Azeredo, o "valerioduto" mineiro se restringiu a arrecadação para o caixa 2 da campanha, processo do qual não tinha conhecimento. O então tesoureiro da campanha tucana, Cláudio Mourão, assumiu a responsabilidade pela arrecadação paralela. "Nunca houve mensalão em Minas Gerais", afirmou o senador, quando questionado sobre a afirmação do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, de que em breve denunciará o "mensalão mineiro". Azeredo disse que o atual ministro das Relações Institucionais, Walfrido dos Mares Guia, não foi o coordenador da campanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.