Azeredo não participa de congresso do PSDB

Senador recebe solidariedade dos colegas, que evitam associar ato de Antonio Fernando de Souza ao Congresso

Cida Fontes, do Estadão,

22 de novembro de 2007 | 17h14

Denunciado pelo procurador-geral da república, o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), não compareceu ao 3.º Congresso Nacional do PSDB. Após conversar com senadores, ele preferiu se recolher a tumultuar o encontro dos tucanos, que reúne as principais estrelas do partido em Brasília. Embora ausente, Azeredo recebeu solidariedade dos colegas do PSDB, que evitaram associar a iniciativa do procurador Antonio Fernando de Souza ao Congresso.   Coincidências à parte, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que as denúncias serão apuradas e que Azeredo terá oportunidade de se defender. "Não tenho inibição em dizer que se apure e, se for o caso, que se puna. Quem tiver culpa no cartório que pague por essa culpa", disse.   Os senadores do PSDB disseram que Azeredo já estava preparado, pois sabia que haveria a denúncia, encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF). "Ele tem todas as condições de se defender", afirmou o presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), ao desvincular a denúncia à convenção tucana. " Acredito na isenção da justiça", comentou.   Para que o caso Azeredo não atrapalhe a festa tucana, que terá participação de 500 delegados de todo o País, os dirigentes do PSDB foram unânimes no discurso. "Essas questões de conjuntura e do dia-a-dia vamos discutir amanhã na convenção", disse Tasso. "Acredito na inocência de Azeredo", emendou o senador Sérgio Guerra (PSDB-PE). Segundo o senador, o procurador não teria agido propositalmente. " Ele já mostrou que tem isenção e qualidade", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
AzeredoPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.