Azeredo critica critério político usado no relatório de CPI

O senador tucano Eduardo Azeredo (MG) divulgou nota manifestando "estranheza e indignação" com o relatório final da CPI dos Correios, de autoria do deputado Osmar Serraglio (PMDB-RS), que pediu o seu indiciamento por crime eleitoral. Segundo Azeredo, o critério utilizado para a citação de seu nome foi "claramente político". "Não fosse isso, o relatório teria pedido, pelo mesmo ´crime eleitoral´, o indiciamento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de outras lideranças, cujas campanhas foram pagas, inclusive, com depósitos em contas no exterior ou com dinheiro vindo de outros países, conforme depoimentos também prestados à CPMI dos Correios", atacou o senador.O pedido de indiciamento de Azeredo por crime eleitoral refere-se à sua campanha ao governo de Minas Gerais em 1998. No entanto, ele sustenta que não pode ser acionado judicialmente pois o próprio relator afirmou que o suposto crime já está prescrito. Azeredo argumentou ainda que ficou provado por meio de documentos que ele não autorizou empréstimos para sua campanha, e que o Conselho de Ética do Senado arquivou o seu processo. "Espero justiça para esse caso do ´crime´ que não cometi, mas pelo qual já paguei pesados e doídos preços políticos, pessoais e familiares", finalizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.