Ayres Britto abre inquérito e põe apuração sob sigilo

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Ayres Britto abriu ontem inquérito para investigar os indícios de que o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força, envolveu-se no esquema de desvio de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), descoberto pela Polícia Federal na Operação Santa Tereza.Britto não revelou quais serão os primeiros passos da investigação. Ele determinou que elas sejam feitas em segredo para não atrapalhar diligências que a Polícia Federal fará por determinação do Ministério Público, que comandará as apurações.As diligências solicitadas pelo procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, ainda serão analisadas pelo ministro. Entre outras providências, o procurador solicitou a quebra de sigilos bancário e fiscal de suspostos envolvidos no caso. Se, durante as investigações, forem confirmados os indícios da participação do deputado, o Ministério Público deverá denunciá-lo ao STF. Se a denúncia for aceita, uma ação penal será aberta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.