Aviação nacional debate medidas de prevenção à Sars

As empresas aéreas e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reúnem-se no dia 6, no Rio de Janeiro, para discutir as medidas preventivas que estão sendo implementadas para impedir que a Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars) chegue ao Brasil através do transporte aéreo. Será apresentado o novo texto elaborado para divulgação aos passageiros através do sistema de comunicação interno das aeronaves. O texto, agora padronizado para todas as companhias, deverá alertar os passageiros com relação às medidas de combate à pneumonia asiática. Além disso, a empresas aéreas pedirão ao passageiros para preencher o formulário distribuído para coletar informações sobre o viajante, para que ele possa ser localizado em caso de necessidade.Participarão dos debates os representantes do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (SNEA), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Departamento de Aviação Civil (DAC) e das duas empresas aéreas brasileiras que operam vôos internacionais, Varig e TAM. Desde o início da epidemia, as empresas aéreas transportaram cerca de 200 milhões de pessoas em todo o mundo, mas existem até agora somente cinco casos suspeitos de contaminação em viagens aéreas, como destaca o coordenador da Comissão de Segurança de Vôo do SNEA, comandante Ronaldo Jenkins. Desde novembro do ano passado, quando o primeiro caso da pneumonia asiática foi registrado na China, 404 pessoas morreram. A maioria dos óbitos ocorreu na China, Hong Kong, Cingapura, Canadá e Taiwan. Cerca de 5.800 pessoas pelo mundo estão infectadas com o vírus da Sars.

Agencia Estado,

02 de maio de 2003 | 17h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.