Avaliação positiva do governo cai de 34,6% para 29,4%

A avaliação positiva do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sofreu queda de 5,2 pontos porcentuais, de 34,6% em maio para 29,4% em junho, segundo a nova rodada da pesquisa CNT-Sensus divulgada hoje pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). A avaliação negativa do governo subiu de 20% para 24,1%. Este foi o pior desempenho do governo Lula desde a sua posse, quando ele tinha uma avaliação positiva de 56,6% ante uma negativa de 2,3%. Os dados foram levantados pelo Instituto Sensus entre os dias 15 e 17 deste mês entre 2.000 entrevistados em 24 Estados. Na pesquisa divulgada hoje, 5,1% dos entrevistados qualificaram o governo como ótimo (ante 7,0% em maio), 24,3% como bom (27,6% em maio), 44,2% como regular (43,5% em maio), 11,6% ruim (8,3% em maio) e 12,5% com péssimo (11,7% em junho). Avaliação de Lula também cai A aprovação do desempenho pessoal do presidente Lula também caiu, na pesquisa da CNT/Sensus, de 60,2% em maio para 54,1% em junho. Em janeiro de 2003, primeiro mês de seu governo, Lula tinha 83,6% de aprovação. Imobilismo O presidente da CNT, Clésio Andrade, disse acreditar que a queda efetiva da avaliação do governo demonstra que as pessoas já começam a entender que os resultados não ocorrem, identificando também o imobilismo social do governo, sobretudo em relação ao desemprego. Essa tendência de queda da popularidade levou o presidente da CNT a considerar que há "um risco de se chegar a um índice de impopularidade". Para o presidente da CNT, o presidente estaria sofrendo "desgaste pela frustração do brasileiro", após 18 meses em que o governo não conseguiu gerar um clima de desenvolvimento, de crescimento do emprego e de melhoria social.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.