Avaliação pessoal de Lula cai de 69,9% para 65,3%

A avaliação positiva do governo Lula caiu de 41% para 39,9% entre dezembro do ano passado e este mês, de acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Sensus para a Confederação Nacional dos Transportes (CNT). No mesmo período, a avaliação negativa do governo subiu de 12,9% para 15,1%, enquanto a avaliação regular caiu de 41,9% para 40,6%. Na avaliação pessoal do presidente o número de aprovação caiu de 69,9% para 65,3% enquanto a desaprovação subiu de 21% para 24,2%. "É importante salientar que a popularidade do presidente continua alta, porém a queda no índice de aprovação reflete a recessão econômica, a falta de geração de emprego e a preocupação da população com a falta de cumprimento das promessas de campanha", afirmou o presidente da CNT, Clésio Andrade. "De qualquer forma, o que temos é uma estabilidade com viés de baixa", completou. Na pesquisa realizada em janeiro do ano passado, a primeira do governo Lula, a aprovação pessoal do presidente era de 83,6% e a desaprovação era de 6,8%. Em termos de governo, 56,6% dos entrevistados em janeiro do ano passado classificavam como positivo o desempenho do governo federal enquanto 2,3% avaliam negativamente esse trabalho. A pesquisa divulgada hoje foi realizada entre os dias 4 e 6 de fevereiro, ouvindo 2 mil pessoas em 195 municípios do Brasil.Atuação do governoA pesquisa mostra uma queda na avaliação da atuação do governo nas áreas econômica, social e política. Para 45% dos entrevistados, a política econômica do governo está sendo conduzida de forma adequada, enquanto 35,7% acreditam que essa condução é inadequada. Em outubro, esses porcentuais eram, respectivamente, de 46,7% e 31,6%. Na área social, 45,1% classificaram como adequado o desenvolvimento da área, feita pelo governo até agora, enquanto 33,2% acham o contrário. Em outubro, 49,3% classificavam esse trabalho como adequado e 31,1%, como inadequado. Na área política, a condução dada pelo governo é considerada adequada por 41,2% dos entrevistados e inadequada por 35,3%. Em outubro passado, esses porcentuais eram de 43,6% e 32,6%, respectivamente.Dos 2.000 entrevistados, 48% disseram acreditar que Lula está cumprindo as promessas feitas durante a campanha presidencial, enquanto 42% afirmaram que elas não estão sendo cumpridas. Em agosto do ano passado, última vez em que essa questão foi apresentada, 57,7% dos entrevistados disseram acreditar que as promessas de campanha estavam sendo cumpridas, enquanto 34,1% não acreditavam nisso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.