Auxiliar judiciário é condenado por ajudar grileiros

O juiz Júnior Alberto Ribeiro, da Comarca de Senador Guiomard (AC), condenou a 14 anos de reclusão o auxiliar judiciário Francisco Evilásio Barbosa do Nascimento, por falsificação de escrituras e procurações foram utilizadas em negociações fraudulentas de terras. A sentença foi proferida em janeiro, mas somente hoje chegou ao conhecimento do Ministério do Desenvolvimento Agrário, que tem feito uma campanha para coibir a grilagem de terras envolvendo cartórios. Segundo o ouvidor Agrário Nacional, Gercino José da Silva Filho, o auxiliar judiciário foi tabelião em um cartório no Acre e se envolveu com a falsificação de documentos. As investigações comprovaram que Nascimento criou uma espécie de "cartório particular" onde falsificava documentos oficiais. Na sentença, o juiz decretou a perda do cargo de auxiliar judiciário e de todos os objetos destinados à falsificação de documentos. O juiz escreveu em sua sentença que o réu praticou falsificações de escrituras e procurações públicas "em várias dezenas". Os 14 anos de reclusão correspondem à soma de crimes de falsificação, falsidade ideológica e outros delitos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.