Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

Autoridades dos três Poderes da República homenageiam fotógrafo Dida Sampaio

Profissional do 'Estadão' é elogiado por atuação profissional e dedicação ao jornalismo

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2022 | 19h29

BRASÍLIA — Autoridades dos três Poderes da República homenagearam o fotógrafo do Estadão Francisco de Assis Sampaio. Dida Sampaio, como era conhecido, morreu nesta sexta-feira, dia 25, em decorrência de um acidente vascular cerebral (AVC), aos 53 anos, a maior parte deles dedicados a registrar os bastidores do centro do poder.

O presidente do Senado e do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), destacou que Dida clicou as principais cenas do Legislativo brasileiro nos últimos anos.

“O fotojornalismo brasileiro perdeu Dida Sampaio, um profissional arguto, sempre atuante e dedicado. Por meio de suas lentes, retratou com brilhantismo o cotidiano do Congresso Nacional, tornando-se o setorista mais antigo do jornal O Estado de S. Paulo na cobertura fotográfica do Parlamento. Meus sentimentos aos familiares, amigos e colegas de profissão", disse o senador.

“Com meus cumprimentos, envio a todos os profissionais de ‘O Estado de S. Paulo’ sinceros sentimentos pela perda do estimado fotógrafo Dida Sampaio”, escreveu, em carta à redação, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux. “Em nome da Suprema Corte, registro que o jornalismo e o Brasil perdem um profissional de excelência, que retratava a realidade brasileira com brilhantismo e dedicação.”

“Meus sentimentos aos familiares e amigos do fotógrafo Dida Sampaio. O profissional atuou mais de 30 anos na cobertura da política nacional, sempre cordial com todos”, disse o presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL).

O ministro das Comunicações, Fabio Faria, destacou a carreira premiada de Dida. O fotógrafo recebeu inúmeras distinções nos últimos anos, com coberturas políticas e reportagens de fôlego publicadas no Estadão. Entre eles, o Prêmio Esso de Jornalismo, o Vladimir Herzog, o Esso de Fotografia e o Prêmio Estadão de Jornalismo.

“É com grande tristeza que recebo a notícia a respeito do falecimento do repórter fotográfico Dida Sampaio. Notório e premiado profissional, destacava-se pela simpatia, dedicação e competência. Dida registrou a gestão de sete presidentes da República e, por todos, era admirado e respeitado”, disse o ministro, responsável pela relação da Presidência da República com a imprensa. “Como bom combatente, lutou por 14 dias após acometido por um Acidente Vascular Cerebral (AVC), mas Deus lhe chamou de forma precoce e repentina.  Lamento sua partida, que será sentida pelos amigos e familiares. Meus mais sinceros sentimentos e desejos de força para todos.”

“Solidarizo-me com a família e os colegas neste momento de dor pelo passamento do admirável repórter fotográfico Dida Sampaio”, escreveu o procurador-geral da República, Augusto Aras.

Alguns dos pré-candidatos a presidente da República, tantas vezes encarados pelas lentes de Dida, também se manifestaram sobre a morte do profissional.

“Minha solidariedade à família e amigos de Dida Sampaio, grande fotógrafo, nascido aqui no Ceará e que se transformou em um dos expoentes do fotojornalismo brasileiro. Sua morte prematura nos entristece a todos”, disse o presidenciável do PDT, Ciro Gomes.

“Tive a honra de ser fotografado, algumas vezes, pelo Dida Sampaio. Sempre gentil e profissional. Fará falta. Meus sentimentos à família, aos amigos e ao Estadão”, registrou o ex-juiz Sérgio Moro, pré-candidato do Podemos.

“Toda a minha solidariedade à família e amigos do fotógrafo premiado e referência em sua área Dida Sampaio, que faleceu hoje. Quis Deus que eu fosse alvo de um de seus últimos cliques na Câmara. Que sua passagem seja iluminada”, escreveu o vice-presidente da Câmara, deputado Marcelo Ramos (PSD-AM).

“Que tristeza saber da partida precoce do Dida. Um grande fotógrafo, um profissional muito admirado por todos e presente na cobertura dos principais acontecimentos da política do país. Meus sentimentos à família, amigos e colegas do jornalismo”, disse o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (União Brasil-RJ), um dos políticos mais clicados por Dida nos últimos anos.

"Meus sentimentos à imprensa que acompanha a política em Brasília. Partiu hoje o grande fotógrafo Dida Sampaio, do Estadão. Condolências aos familiares e amigos", publicou o presidente do MDB, deputado Baleia Rossi(SP).

“Faleceu hoje em Brasília um dos melhores fotojornalistas da imprensa brasileira. Dida Sampaio sempre dizia que o protagonismo deveria ser da imagem e não do fotógrafo. Lamentável perda para a imprensa. Registro aqui o meu pesar e meus sentimentos por essa perda”, manifestou o senador Jean Paul Prates (PT-RN).

“O Brasil perde Dida Sampaio, um dos melhores fotojornalistas do Brasil. Talentoso, atencioso, educado e sempre de bem com a vida. Meus sentimentos aos colegas e familiares”, escreveu Rodrigo Agostinho (PSB-SP), da frente ambientalista.

“Triste saber da morte de Dida Sampaio, um dos maiores repórteres-fotográficos na cobertura diária da política. Recentemente estivemos juntos, numa sessão de fotos para uma matéria do  Estadão. Dida fará falta nos corredores do Congresso. Solidariedade aos familiares e amigos”, escreveu a deputada Talíria Petrone (PSOL-RJ).

A morte precoce de Dida também repercutiu no meio jornalístico. A Associação Brasileira de Repórteres Fotográficos (Arfoc Brasil), principal entidade dos profissionais de imagem no País, pronunciou-se por meio de seu presidente.

“A ARFOC Brasil lamenta o falecimento de nosso colega Dida Sampaio, um dos maiores repórteres fotográficos que o Brasil já teve. Suas imagens ficarão para a história”, disse o presidente da Arfoc Brasil, Alcyr Cavalcanti.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.