Andre Dusek/Estadão
Andre Dusek/Estadão

Autor de pedido de impeachment, Reale diz que reunião de Dilma com juristas é 'elogio'

Em evento no Palácio do Planalto, juristas pró-governo argumentaram que presidente da Câmara 'não tem idoneidade' para ter deflagrado o processo e que o direito estaria 'sendo manipulado

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

07 de dezembro de 2015 | 15h00

Um dos autores do pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff que foi acolhido pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o jurista Miguel Reale Júnior disse que viu como um "elogio" a reunião de 30 juristas contrários ao impedimento com Dilma na manhã desta segunda-feira, 7, no Palácio do Planalto.

"Considerei um elogio esse evento. Ela precisou de 30 juristas para responder a nossa petição", afirmou Reale. Além dele, que foi ministro da Justiça de Fernando Henrique Cardoso, também assinam o documento o ex-deputado petista Hélio Bicudo e a advogada Janaina Paschoal.

No evento de hoje, que aconteceu no Palácio do Planalto, os juristas pró-governo se revezaram ao microfone argumentando que o presidente da Câmara "não tem idoneidade" para ter deflagrado o processo e que o direito estaria "sendo manipulado".

"Isso é tudo firula. São considerações genéricas", diz Reale.     

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.