Aumento de remédios será definido semana que vem

A Câmara de Medicamentos do governo só deve definir na próxima semana os índices de aumento de preços dos medicamentos. Num balanço perliminar, divulgado nesta quarta-feira, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que apenas 38 dos 95 laboratórios que terão direito a reajustar seus remédios em até 5,94% haviam enviado as planilhas de custos com os pedidos de aumento.Nas planilhas enviadas à Anvisa, a maioria dos laboratórios pede reajuste de 5,94%, o valor máximo autorizado na Medida Provisória editada em dezembro definindo as margens de preços para os remédios. Entre os que querem o maior índice estão o Institituto Biochimico Ltda, Farmaquímica S/A, Marjan, Zurita, Smithkline Beecham, Johnson&Johnson, Jansen Cilag, Aventis Bering, Serono, Glaxo Wellcome, Byk Química, Alcon Laboratórios, Bayer, Zanbom, Abbot do Brasil, DM Indústria Farmacêutica, Merck e Libbs. O menor porcentual, de 1,54%, foi solicitado pelo laboratório Servier do Brasil Ltda.Os laboratórios que já pediram reajustes de preços produzem 1.921 remédios que estão à venda no mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.