Aumento de beneficiários do Bolsa-Família atinge Orçamento

Presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá anunciar um reajuste no valor do benefício concedido pelo programa

Agência Brasil

30 de julho de 2009 | 12h30

O aumento no número de pessoas do Bolsa-Família, e não o reajuste dos benefícios, poderá causar impacto no Orçamento da União. "Estamos fazendo revisão de todas as contas. É possível que se precise colocar mais dinheiro no orçamento por conta disso", disse o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, ao falar sobre o aumento no número de beneficiários do Bolsa-Família.

 

Amanhã, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá anunciar um reajuste no valor do benefício concedido pelo programa. A alteração no orçamento, segundo Bernardo, não será causada pelo aumento no benefício. "Esse assunto já está praticamente decidido. O aumento do Bolsa-Família cabe no orçamento", disse. "Se você contar o tamanho das contas federais, o Bolsa-Família tem um valor até relativamente pequeno no Orçamento. O novo reajuste começará a ser pago em setembro.

 

Bernardo disse ainda que tramita na Reforma Tributária uma proposta de desoneração dos alimentos que compõem a cesta básica. Se for aprovada, começará a valer já no próximo ano. "Evidente que isso esbarra em algumas resistências. Os estados tem medo de perder receita. Mas poderíamos achar uma forma de fazer isso porque, além de beneficiar quem gasta mais com alimento, os mais pobres, significa dar um estímulo enorme na produção de alimentos", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsa-Família

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.