Aumenta limite de dívida para socorro a vítimas das chuvas

Para socorrer os Estados e municípios afetados pelas enchentes no início desse ano, o Conselho Monetário Nacional (CMN) decidiu hoje aumentar em R$ 61 milhões o limite de endividamento do setor público junto ao Sistema Financeiro Nacional. Com essa expansão emergencial do limite de endividamento, os governos estaduais e municipais das regiões atingidas poderão agora contratar financiamento na Caixa Econômica Federal dentro do programa "pró-moradia", que usa recursos do FGTS.Segundo o coordenador de Estudos Econômico-Fiscais do Tesouro Nacional, Kléber de Oliveira, o Ministério das Cidades vai definir os critérios de seleção dos municípios. Para obtenção desses empréstimos, os governos regionais não vão precisar entrar na fila de pedidos de financiamento que os Estados e municípios são obrigados a entrar para obter crédito no sistema financeiro. Esse cadastro dos pedidos de operações de crédito é monitorado pelo Banco Central.O CMN também aprovou hoje um outro aumento da expansão do limite de endividamento no valor de R$ 89 milhões para operações de crédito de obras de drenagem urbana e saneamento integrado. Mas para a concessão desses financiamentos, será obedecida a ordem da fila do cadastro de pedidos, informou o coordenador do Tesouro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.