Aula de Itamar vira discurso contra FHC

Era para ser uma aula sobre "As Relações Internacionais e a Guerra contra o Terrorismo", mas o discurso do governador de Minas, Itamar Franco (PMDB), para cerca de cem alunos da Escola de Governo da Universidade de São Paulo (USP), nesta segunda-feira à noite, poderia ser definido como um resumo das suas péssimas relações com o presidente Fernando Henrique Cardoso e sua guerra com o governo.Ao analisar o conflito no Afeganistão, por exemplo, ele criticou o presidente em relação à sua recente visita à Europa."Questões importantes como direitos humanos e a inserção do Brasil no mundo não podem ser resolvidas em colóquios domingueiros de casas de campo européias", disse, referindo-se ao encontro de Fernando Henrique com o primeiro-ministro britânico, Tony Blair."O Brasil não precisa se autopromover com discurso em outra língua." Itamar criticou a retaliação norte-americana contra o Afeganistão."Oxalá os Estados Unidos não inventem uma nova Escola das Américas, que ensinava a arte da tortura a oficiais latino-americanos", disse. "O Afeganistão poderá ser aqui." A análise sobre o terrorismo, com críticas à Organização das Nações Unidas (ONU), virou um relato contra o presidente - sobre o qual disse, mais uma vez, estar arrependido de ter lançado à Presidência."Dois ministros me disseram para não escolhê-lo como sucessor, e se eu pudesse voltar atrás jamais o teria escolhido", disse. "O grande ministro do Real foi Rubens Ricúpero." Itamar criticou a adoção pelos candidatos governistas de um discurso de maior intervenção do Estado na economia. Disse que esta fala é sua."Antes me chamavam de nacionalista, agora são os homens do governo que fazem uma reciclagem na mente, dizem o que eu dizia, só para confundir o eleitor."Ele também garantiu que, enquanto for governador, Furnas não será privatizada. "Só com a intervenção das Forças Armadas. E mesmo assim quero ver." No fim, foi ovacionado por um grupo de estudantes: "Itamar, guerreiro, do povo brasileiro!"

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.