Evaristo Sá/AFP
Evaristo Sá/AFP

Aras se diz 'mal compreendido' por fala sobre unhas das mulheres

O PGR Augusto Aras disse que não quis 'diminuir o papel' das mulheres na sociedade quando, no Dia Internacional da Mulher, elogiou as que teriam o 'prazer de escolher a cor da unha que vai pintar e o sapato que vai calçar'

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de março de 2022 | 08h09

O procurador-geral da República, Augusto Aras, divulgou um vídeo nesta quarta-feira, 9, em que diz ter sido “mal compreendido” após reforçar estereótipos ligados ao gênero feminino e dedicar uma homenagem para mulheres que “têm o prazer de escolher a cor da unha que vai pintar”. 

"Hoje é dia de homenagem à mulher, no seu sentido mais profundo, da sua individualidade, da sua intimidade. A mulher que tem o prazer de escolher a cor da unha que vai pintar, a mulher que tem o prazer de escolher o sapato que vai calçar", afirmou o PGR em discurso sobre a importância do Dia Internacional da Mulher, em evento do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), no dia 8 de março.

No vídeo, Aras justifica que não quis “diminuir o papel que a mulher sempre teve em nossa sociedade”. 

“Apenas destaquei que é possível buscar qualquer posição até o mais alto posto da República sem abrir mão da sua feminilidade”, afirmou, sem, de fato, pedir desculpas por sua declaração no dia anterior. 

O PGR se disse ainda “implacável contra o preconceito” e defende que a mulher brasileira em liberdade de fazer escolhas “que vão desde a sua intimidade até a participação no mercado de trabalho e na política.”

Apontando projetos para mulheres encampados no Ministério Público, concluiu que quer continuar aprendendo. “Os fatos demonstram isso contra qualquer tipo de especulação”, completou.

A fala de Aras se destacou em meio a uma série de gafes cometidas por figuras públicas no Dia da Mulher, que acabaram chamando ainda mais atenção após o episódio envolvendo áudios sexistas gravados peloo deputado Arthur do Val (sem partido). Antes do PGR,  o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que, hoje em dia, as mulheres estão “praticamente integradas à sociedade” e que elas foram “feitas do homem”. 

Ainda na terça-feira, foram divulgadas mensagens atribuídas ao deputado federal Neucimar Fraga (PSD-ES) e consideradas machistas. Uma captura de tela reproduzida nas redes sociais mostra que, em um grupo de WhatsApp com lideranças políticas do Espírito Santo, o parlamentar enviou imagens de supostas soldadas ucranianas e ironizou: “Como a Ucrânia quer ganhar a guerra sem nenhum canhão?”. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.