Auditores fiscais de SP não vão aderir à greve

A Receita Federal em São Paulo funcionará normalmente amanhã, apesar do anúncio de paralisação das atividades dos servidores públicos por tempo indeterminado. A posição foi decidida durante assembléia da categoria e se restringe à capital, já que as demais cidades do País ainda não definiram se vão aderir ao movimento. "Amanhã vamos trabalhar normalmente", afirmou o auditor fiscal do Tesouro Nacional, Luiz Monteiro, responsável pela comunicação e relações externas. Os servidores reivindicam reajuste salarial de 75,48% e alegam que não recebem aumento há sete anos.De acordo com Carlos Eduardo Liberati Mantovani, secretário-geral do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Federal em São Paulo (Unafisco), o aumento de 3,5% concedido hoje pelo presidente Fernando Henrique Cardoso para o funcionalismo federal não interferiu na decisão. "Acho que quem está engajado no movimento não irá voltar atrás por causa do anúncio. Nós não vamos participar da paralisação aqui em São Paulo porque não estamos suficientemente mobilizados, mas há uma simpatia muito forte pelo movimento", alegou Mantovani.Para ele, nas demais cidades do País, a decisão deverá seguir o mesmo sentido. "Acredito nisso porque geralmente a capital representa a tendência nacional. A assembléia com todos os sindicatos só irá definir isso mais tarde ou mesmo amanhã", afirma o secretário-geral. De acordo com o líder sindical, há cerca de 1,5 mil auditores fiscais em São Paulo, entre ativos, pensionistas e aposentados. "Desse total, 98% aproximadamente é sindicalizado", diz. A entidade não tem vínculo com nenhuma central sindical.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.