Auditor admite ser titular de conta em banco na Suíça

O auditor federal Sérgio Jacome de Lucena, um dos funcionários públicos acusados de enviar ilegalmente US$ 33,4 milhões para a Suíça, reconheceu que é sua uma das contas investigadas, a de número 182255ZD aberta no Discount Bank and Trust Company. O auditor, que tem um pouco mais de US$ 300 mil depositados na conta, se recusou porém a revelar ao juiz Lafredo Lisboa, da 3ª Vara Federal Criminal, como abriu a conta. Ele aponta como origem do dinheiro serviços de consultoria de informática que teria prestado a empresas privadas, cujos nomes não quis revelar. Lucena está preso no Ponto Zero, carceragem especial em Benfica, zona norte do Rio de Janeiro, com outros sete acusados de envolvimento no caso. Todos eles se recusaram a responder às perguntas do juiz, alegando que os advogados não tiveram acesso completo ao processo. São eles o ex-subsecretário Rodrigo Silverinha Corrêa, os fiscais Rômulo Gonçalves, Lúcio Picanço e Carlos Eduardo Pereira Ramos, e os auditores Axel Rippol, Amaury Franklin Nogueira Filho e Hélio Lucena Ramos da Silva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.