Atos organizados no Facebook pedem impeachment de Dilma

A reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) tem motivado a mobilização, por meio das redes sociais, para protestos pedindo o impeachment da petista, com base nas denúncias de corrupção na Petrobras. As manifestações foram marcadas em São Paulo, Estado onde o adversário de Dilma, Aécio Neves, teve a segunda maior vitória: 64,31% dos votos válidos. Em Santa Catarina ele alcançou 64,59%.

STEFÂNIA AKEL, Estadão Conteúdo

27 de outubro de 2014 | 10h59

No Facebook, dois eventos mobilizam mais de 10 mil pessoas. Cerca de 12 mil confirmaram presença em um ato marcado para esta segunda-feira, às 18h, no Largo da Batata, na zona oeste da capital. O ato pedirá o impeachment de Dilma e um "sistema de votação mais confiável", segundo a descrição do evento.

A manifestação deve defender o voto facultativo, o voto impresso na urna eletrônica e a devolução do "dinheiro roubado" da Petrobras. O evento foi criado por um perfil chamado Mudança Já, que se apresenta como um "movimento apartidário por uma gestão pública eficiente, educação e cidadania".

Cerca de 14 mil pessoas confirmaram presença em outro ato, marcado para amanhã, na Avenida Paulista, também às 18h, com nome de "Impeachment da Dilma".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.