Ato reúne 5 mil pessoas, entre filiados e militância paga

Mais de 100 ônibus vieram do interior, da Grande São Paulo e de Minas; jovens disseram ter ganho R$ 25 para participar do evento

Pedro Venceslau, Débora Bergamasco, O Estado de S. Paulo

14 Junho 2014 | 18h05

Os organizadores da convenção do PSDB que sacramentou a candidatura do senador Aécio Neves (MG) ao Palácio do Planalto calculam que ao menos 5 mil pessoas participaram do evento realizado neste sábado, no Expo Center Norte, em São Paulo. Alguns militantes admitiram à reportagem terem recebido dinheiro para comparecer ao ato.

Segundo o prefeito de Botucatu (SP), João Cury, um dos coordenadores de mobilização do evento, foram utilizados 54 ônibus do interior paulista, 18 da Grande São Saulo e 50 de Minas Gerais – o Estado formou a 2.ª maior delegação da convenção.

A maioria da plateia foi arregimentada por líderes políticos regionais e veio de ônibus fretados. Um grupo de Minas chegou ao ato agitando um boneco gigante do ex-presidente Tancredo Neves, avô de Aécio.

Além de militantes, era grande o número de pessoas que compareceu “pela festa”. Três moradoras do Morro do Macaco, em Cotia, na Grande São Paulo, disseram ao Estado que ainda não têm título de eleitor e que cada uma recebeu R$ 25 pela presença. “Vim porque meu tio disse que ia ter um negócio de vereador em São Paulo. Convidei minhas amigas e a gente veio”, afirmou a estudante Jesse Costa, 16 anos.

Três amigos de Belo Horizonte, do bairro de Barreiro, na periferia da capital e principal colégio eleitoral da cidade, são amigos do filho de uma militante. Indagados se receberam dinheiro, Lucas Silva, 25 anos, e Álvaro Augusto Machado, 21, responderam, ao mesmo tempo, “não” e “sim”. A militante que os arregimentou entrou na conversa e disse que os dois só ganharam “lanche”.

“Ninguém recebeu nada. Nem lanche. Só oferecemos o transporte. Eu trouxe 30 ônibus”, disse o deputado Pedro Tobias, ex-presidente da sigla em São Paulo. Outros membros da equipe tucana também negaram o pagamento em dinheiro para o público. O deputado João Almeida, da direção de Gestão Corporativa do PSDB, disse que ainda “não tem ideia” de quanto custou a convenção. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.