Ato pró-reitor da UnB provoca tumulto com alunos na reitoria

Servidores fizeram manifestação em favor de Timothy em frente a prédio ocupado por estudantes desde 5ª

Agência Brasil,

09 de abril de 2008 | 14h28

Cerca de 100 servidores da Universidade de Brasília (UnB) realizaram nesta quarta-feira, 9, uma manifestação favorável ao reitor da instituição, Timothy Mulholland. Com faixas e cartazes, eles se dirigiram ao prédio da reitoria, ocupada desde a última quinta-feira, 3, por estudantes que reivindicam que a saída do reitor. Mulholland é investigado por ter usado verba destinada à pesquisa para reformar o apartamento funcional que ocupava.  Veja também:  MEC quer parecer da Finatec sobre recursos para UnBReitor da UnB diz que não pretende deixar universidade Reitor da UnB aceita parte das reivindicaçõesJustiça manda estudantes desocuparem Reitoria  Na chegada à reitoria, houve tumulto e troca de empurrões entre servidores e alunos. Representantes dos dois lados intervieram e a confusão chegou ao fim. Para o professor de engenharia da UnB Adson da Rocha, os alunos não têm direito de impedir que os servidores da reitoria trabalhem. "O prédio é público, propriedade de todo o País, de toda sociedade. Nós achamos que não é aceitável um grupo impor a sua vontade e invadir prédios públicos. Isso é um desrespeito ao Estado de direito", avaliou.  O aluno Alan Schvarsberg, que integrada comissão de comunicação do movimento estudantil, afirmou que a manifestação dos servidores foi motivada por pressão da reitoria. "Os servidores que não estão satisfeitos com a ocupação têm o direito de se manifestar, agora a gente sabe que a reitoria está trabalhando de maneira muito intensa para essa manifestação", disse. Ação no Ministério Público O Ministério Público Federal (MPF-DF) e o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) entraram com ação de improbidade administrativa nesta terça-feira, 8, contra o reitor. Mulholland e o decano de administração da UnB, Erico Paulo Weidle, são acusados de usar recursos destinados ao financiamento de projetos de pesquisa e desenvolvimento institucional da UnB para decorar o apartamento usado pelo reitor. De acordo com a ação, cerca de R$ 470 mil foram gastos para mobiliar e decorar o imóvel. Outros R$ 72 mil foram usados para comprar um automóvel de uso exclusivo do reitor. Todos os gastos foram custeados pela Finatec, fundação de apoio ligada à Fundação Universidade de Brasília (FUB). A ação pede a condenação do reitor e do decano de administração ao ressarcimento integral do dano causado, à perda da função pública, à suspensão dos direitos políticos por até cinco anos, ao pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração recebida pelos agentes e à proibição de contratar com o poder público por três anos, além do pagamento de indenização por danos morais. O Ministério Público também aguarda informação da UnB para verificação da destinação atual desses bens. 

Tudo o que sabemos sobre:
Invasão da UnBTimothy Mulholland

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.