Nelson Almeida|AFP
Nelson Almeida|AFP

Maior, ato na Paulista pede renúncia de Temer e eleições diretas para presidente

Uma grande manifestação já está marcada para o próximo domingo, 21

Valmar Hupsel, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2017 | 08h00

Manifestantes se reúnem em frente ao Masp, na Avenida Paulista, em São Paulo, no segundo dia consecutivo de protestos pela renúncia do presidente Michel Temer e pela realização de eleições diretas. O ato desta quinta-feira, 18, já é maior que o realizado no dia anterior e conta desta vez com um carro de som, onde alternam-se oradores. A manifestação ocupa um dos sentidos da Avenida Paulista, que teve o trânsito desviado entre as esquinas com as ruas mostro Rocha de Azevedo e Pamplona. Outras cidades, como Rio, Porto Alegre, GoiâniaRecife e Fortaleza também registram protestos. Em Goiânia, um motorista furou o bloqueio e atropelou manifestantes.

Os manifestantes começaram a chegar na Avenida Paulista no inicio da noite, logo após o pronunciamento em que Temer afirmou que não renunciaria do cargo. Faixas e cartazes pedem também a realização  de uma greve geral para barrar a tramitação da reforma da Previdência. 

Por volta das 20h, os manifestantes chegaram à porta do prédio onde fica o escritório da Presidência da República, na Avenida Paulista. O trânsito foi interrompido pela policia militar nos dois sentidos da via. A Polícia Militar fazia um cordão de isolamento para evitar depredação e invasão ao prédio. O protesto segue sem incidentes. 

O trecho da Paulista entre as ruas Bela Cintra e Padre João Manoel, um total de quatro quarteirões, permanecia fechado aos carros às 21h20. Os manifestantes usavam faixas, cartazes e batucada. 

"Olê, olê, olê, olá, diretas já" e "Ai, ai ai ai, se empurrar o Temer cai", são alguns dos gritos de guerra. A aglomeracao é formada principalmente por estudantes secundaristas e universitários. Por volta das 21h, o grupo dobrou de tamanho quando recebeu aqueles que haviam permanecido debaixo do vão do Masp para se proteger da chuva quando a marcha começou, por volta das 19h40. 

Uma grande manifestação está marcada para o próximo domingo, 21, convocado pelas Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo não só em São Paulo mas em outras capitais brasileiras. Mas os manifestantes prometem atos todos os dias até a deposição ou renúncia de Temer.  "Se Temer não renuncia, nós vamos forçar ele a sair da Presidência", disse a estudante Juliana Marques, de 24 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.