Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Ato em Fortaleza teve políticos do PSDB e oração 'anti-PT'

Manifestação reuniu cerca de 20 mil pessoas na capital cearense para pedir a saída de Dilma e do PT

Carmen Pompeu, especial para O Estado, O Estado de S. Paulo

15 de março de 2015 | 14h56

Fortaleza - O ativista Paulo Angelim era um dos mais entusiasmado com a manifestação Fora Dilma, nesta domingo, 15, em Fortaleza. Ele puxou, segundo cálculos dele, 20 mil pessoas (a Polícia Militar estimou em 12 mil e 53 mil era o número de confirmações nas redes sociais), da Praça Portugal para a Beira-Mar. No percurso, Angelim comandava em cima de um trio elétrico as palavras de ordem contra a presidente e o PT. No final da manifestação, ele avaliou como um sucesso. Os grupos começaram a chegar por vota das 9 horas. Depois de ouvir discursos de entidades da sociedade civil, os manifestantes desceram até a avenida Beira-Mar, onde por volta das 12h30 começaram a se dispersar, sob um calor de 31°C.

"Não poderia ter sido melhor. O povo veio para rua espontaneamente. A maioria de verde e amarelo para mostrar que as cores do Brasil são essas e não o vermelho do PT. Somos contra toda essa corrupção que está tomando conta do Governo Federal e queremos um novo Governo que respeite o País", clamou Angelim. Na opinião dele, 15 de março vai entrar para a história brasileira como "o dia do basta".


Não houve discurso de políticos e nem bandeiras de partidos.Presente ao ato, o deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB) afirmou que juridicamente já há motivo para o impeachment, "mas o PSDB não defende o impedimento da presidente por respeito ao momento político. Mas não podemos aceitar a roubalheira que se instalou em Brasília. Basta. Até no Ceará deram calote com a promessa da Refinaria".

Faixas ao longo da avenida Desembargador Moreira cobravam a saída de Dilma e do PT.  O Hino Nacional foi tocado e cantado várias vezes e até em ritmo de forró. Um "Pai Nosso" foi orado com a mensagem final "Pai, livrai-nos do PT". O protesto aconteceu sem nenhum incidente grave e foi todo acompanhado pela Polícia. Quatro equipes do Raio, seis do Batalhão de Choque e mais 12 motos deram suporte à manifestação. Um rapaz de 19 anos foi detido com um canivete e um pano preto. Os policiais também precisaram intervir quando duas pessoas, que portavam uma faixa pedindo a volta do regime militar, foram hostilizadas por um outro grupo de manifestantes que tentou tomar o objeto à força.

O aposentado Paulo Roberto, de 65 anos, esteve no ato com uma bicicleta estilizada denunciando, segundo ele desmandos do Governo Federal. "Independente de partido está na hora de mudar. O Brasil está de mal a pior e não pode continuar assim", afirmou. Ele estava vestido de cangaceiro.

No Ceará, outra manifestação contra a corrupção na Petrobrás está prevista para começar no final da tarde deste domingo, no Arco de Nossa de Fátima, em Sobral, a 240 quilômetros de Fortaleza. O ato é puxado por Tomás Filho, presidente do PSDB de Fortaleza. Também há outra contra a presidente Dilma prevista em Juazeiro do Norte, na região do Cariri, na Praça do Giradouro.

Tudo o que sabemos sobre:
protestosDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.