Ato em Fortaleza tem 200 manifestantes; expectativa era de 5 mil

Os manifestantes iniciaram o ato rezando o 'Pai Nosso' e cantaram o Hino do Brasil; houve discursos de combate à corrupção

Lauriberto Braga, Especial para o Estado

26 Março 2017 | 15h46

FORTALEZA - A manifestação deste domingo, 26, em apoio à Operação Lava Jato, ao juiz Sergio Moro, pela revogação do Estatuto do Desarmamento, pelo fim do foro privilegiado e pela PEC que define em 10 anos o mandato dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) durou menos de uma hora, na Praça Portugal, no bairro Aldeota, área nobre de Fortaleza. Os organizadores do ato - movimentos Fora Corruptos, Consciência Patriótica, Brasil Indignado, Instituto Democracia e Ética e Vem Pra Rua - previam 5 mil participantes, mas número final só chegou a 200.

Os manifestantes iniciaram o ato rezando um "Pai Nosso" e cantaram o Hino do Brasil. Depois seguiram alguns discursos de combate à corrupção. O primeiro a falar foi Francisco José, do movimento Vote Consciente. "Precisamos mudar o nosso País. Estamos defendendo o Brasil. O crime chegou ao Poder e a Operação Lava Jato está combatendo", disse ele.

Uma das primeiras a chegar foi a vereadora por Fortaleza, Priscila Costa (PRTB). "Estamos aqui para manifestar nosso total apoio ao juiz Moro, apoiar a continuidade da Operação Lava Jato, pela revogação do Estatuto do Desarmamento, pelo fim do foro privilegiado e que a nossa bandeira jamais será vermelha. E também estamos insatisfeitas com o avanço do crime no Brasil", disse a vereadora.

Francisco Heitor, do Instituto Democracia e Ética, elogiou as operações da Polícia Federal (PF) de combate à corrupção. Destacou a Lava Jato, que "já condenou mais de cem pessoas, enquanto o STF nenhuma". Heitor finalizou sua fala dizendo que "a PF muito nos orgulha".

Presente no ato, o professor Fernando Freitas se vestiu de presidiário. "Estou cobrando o fim à impunidade, mais justiça e menos corrupção".​ Freitas foi o centro das atenções dos manifestantes, que fizeram questão de bater selfie com ele.

Entre políticos na manifestação, apenas os vereadores por Fortaleza, Priscila Costa (PRTB) e Jorge Pinheiro (PSDC). O deputado federal Cabo Sabino (PR-CE) mandou assessores para o ato, que não teve presença da Polícia Militar, apenas de agentes de trânsito que interditaram as vias de acesso à Praça Portugal.

Os manifestantes levaram faixas de apoio a Sérgio Moro e cartazes com pautas e reivindicações do ato.​

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.