Ato do MST em Buritis reúne 150 manifestantes

O ato público dos sem-terra e assentados ligados ao MST reuniu 150 pessoas hoje, em Buritis, interior de Minas Gerais . A marcha rumo à fazenda Córrego da Ponte, da família do presidente Fernando Henrique Cardoso, não aconteceu. Utilizando pequenos caixões, o MST fez 1 minuto de silêncio "para o Poder Judiciário", pela impunidade pelos responsáveis pelas mortes de 19 sem-terra, em 17 de abril de 1996, em Eldorado do Carajás (PA).O MST admite que o governo vem atendendo alguns itens da pauta de reivindicações do movimento, o que esvaziou os protestos na região do Entorno do Distrito Federal. Um dos coordenadores regionais do movimento, Gilmar de Oliveira, afirmou que "parte da pauta está sendo resolvida." Durante o ato público em Buritis dois soldados da Polícia Militar de Minas Gerais fizeram a segurança na área. Até o final da tarde de hoje não foi registrada a presença de soldados do Exército e nem de policiais federais na região.Para esta quinta-feira está prevista uma nova reunião entre MST e governo, em Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.