Ato de tucanos pró-Alckmin coincide com palestra de FHC

Tucanos pró-Geraldo Alckmin realizamna quinta-feira uma manifestação pela candidatura própria doPSDB à prefeitura de São Paulo. O evento, no entanto, vairivalizar com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, quedará palestra na mesma noite. "A palestra é outro público, não é da militância. Quem vaino ato da candidatura é a militância municipal. Não vaiafetar", disse nesta terça-feira à Reuters o deputado SilvioTorres (PSDB-SP), do grupo de Alckmin. Batizado de "Movimento Tucanos pró-São Paulo", o convitepara a manifestação da candidatura própria informa que amobilização nasceu "nas bases do partido". O deputado relata que o movimento começou com 40 militantese no mais recente encontro reuniu 600, entre filiados e membrosdos diretórios zonais. Já os vereadores tucanos não devem aderir ao ato. Na semanapassada, a maioria deles apoiou texto do líder da bancada,Gilberto Natalini, a favor da manutenção da aliança PSDB-DEM. Aala que defende a coligação apóia de forma indireta acandidatura do prefeito Gilberto Kassab (DEM), que tem asimpatia de Fernando Henrique. A conferência do ex-presidente, recém-saído de umacirurgia, foi marcada, segundo o PSDB, com antecedência. Serárealizada em um hotel da região central da capital paulista. Afastando a possibilidade de concorrência com o atoalckmista, o partido informou que a palestra faz parte de umciclo que começou em setembro do ano passado com Alckmin edepois teve o vice-governador paulista Alberto Goldman. "Foi uma infeliz coincidência", disse Cesar Gontijo,secretário-geral do PSDB paulista. "Não é um evento para amilitância. Os convites são pagos e custam 2 mil reais cadaum", contou. Com os recursos, o partido quer reduzir seudéficit mensal. Na segunda-feira, o presidente do PSDB, senador SérgioGuerra (PE), conversou com Alckmin em São Paulo. Oex-governador reiterou que quer uma definição do partido sobrea situação na capital. "O Geraldo só vai se definir depois que o partido disserque terá candidatura própria. Ele aguarda a decisão", disseTorres. Ecoando previsão de Alckmin, Torres disse que o prazomáximo para esta definição é o final de abril, para dar tempode realizar alianças e o projeto de governo. As eleiçõesacontecem em outubro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.