Moisés Silva/O Tempo
Moisés Silva/O Tempo

Ativistas pró e contra Lula entram em confronto antes do congresso da CUT em Belo Horizonte

A polícia teve que separar a briga e os ânimos se acalmaram, mas os grupos continuam gritando ofensas em ambos os lados da avenida.

SUZANA INHESTA, CORRESPONDENTE, O Estado de S. Paulo

28 de agosto de 2015 | 17h49

Atualizado às 18h55

Belo Horizonte - À espera de um discurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que participa de congresso da Central Única dos Trabalhadores (CUT), em Belo Horizonte, manifestantes pró e contra governo entraram em confronto. 

Desde às 16h30, militantes favoráveis ao governo federal e contrários se manifestavam na avenida Nossa Senhora do Carmo, na região centro-sul da capital mineira, onde ocorrerá o evento. 

Havia palavras de ordem e até xingamentos de ambos os lados, mas até então sem violência física, cada grupo em um lado da avenida. Por volta de 18h10, uma mulher do movimento antigoverno se aproximou dos manifestantes do outro lado e os chamou de "vagabundos".

Os manifestantes pró-governo, em grande parte da CUT e do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), partiram então para cima dela. A Polícia Militar interveio com spray de pimenta.

Cinco minutos depois, integrantes do movimento pró-governo abriram sacos de farinha gritando "Aécio cheirador", em referência ofensiva ao presidente do PSDB, candidato derrotado nas eleições presidenciais do ano passado, Aécio Neves.

Na sequência, duas senhoras do grupo anti-governo se aproximaram do grupo pró-governo e agrediram alguns dos manifestantes, com tapas e usando o cartaz que seguravam. Por sua vez, elas tiveram os cabelos puxados.

A polícia separou a briga e os ânimos se acalmaram, mas os grupos continuam gritando ofensas em ambos os lados da avenida. 

Integrantes grupo anti-governo falaram que vão ficar até Lula chegar e a PM avalia que pode haver mais confusão. 

Tudo o que sabemos sobre:
LulaCUTMinas Geraisprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.