Atividades em todo país combatem exploração sexual de jovens

Campanha prioriza este ano abusos praticados em rodovias brasileiras; flores foram distribuídas no Ibirapuera

18 de maio de 2009 | 09h25

Governo e organizações da sociedade civil realizam nesta segunda-feira, 18, atividades em todo o país para alertar a população sobre abusos e violência sexual praticados contra crianças e adolescentes, como parte do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

 

Veja também:

blog Blog Nós: agora, avós também estão envolvidos; opine

especialTriplica nº de vítimas de abuso atendidas em SP 

 

Serão distribuídos panfletos em hotéis, táxis e locais turísticos em todos os Estados. Em Recife, Fortaleza, Salvador, Belém, Belo Horizonte e Porto Alegre também haverá exibição do filme "Cinderelas, Lobos e Príncipes", que mostra o cotidiano de crianças e adolescentes submetidos à exploração sexual, informou a Agência Brasil.

 

A campanha deste ano se concentrará nos abusos praticados contra menores nas rodovias brasileiras, segundo afirmou o coordenador de campanhas da Childhood Brasil, Itamar Gonçalves, em entrevista à Rádio Nacional. O slogan será "Negociar Sexo com Crianças e Adolescentes é Crime. Denuncie".

 

"Queremos destacar a situação de exploração de adolescentes e de crianças nas estradas brasileiras, em espaços privados", disse Gonçalves. A Chilhood Brasil integra a comissão intersetorial responsável pela campanha.

 

Levantamento realizado pela Fundação Oswaldo Cruz em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social mostra que as regiões Sul e Sudeste com a melhor estrutura de atendimento às crianças vítimas da pedofilia no país. São 1.360 abrigos para acolher essas crianças, de um total de 2,4 mil no país.

 

Flores no Ibirapuera

 

Em São Paulo a campanha começou na manhã de domingo, 17, quando mais de duas mil gérberas foram distribuídas nos portões do parque do Ibirapuera. Com a flor, os organizadores entregavam um panfleto com telefones do Disque Denúncia Nacional - o Disque 100 - e de conselhos tutelares, com orientações sobre a importância da denúncia e da responsabilidade de todos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

Mais de 200 camisetas brancas também foram distribuídas para que frequentadores grafitassem, em diferentes cores, a flor símbolo do programa "Faça Bonito - Proteja nossas Crianças e Adolescentes". "O abuso e a violência sexual contra crianças não têm perfil e ocorrem em todas as camadas sociais", disse a diretora da ONG Farol, Lúcia Toledo.

 

O público aprovou a iniciativa. "É uma campanha ótima para alertar os pais. Nós tentamos orientar nossos filhos a ter cuidado com pessoas mais velhas porque as crianças não têm maldade", disse o inspetor de alunos Carlos Alberto Borin, de 45 anos, que todos os domingos passeia com a família pelo Ibirapuera.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.