Aterro contaminado causa mortes, MP pede investigação

O Ministério Público Federal encaminhou nesta quarta-feira pedido de instauração de inquérito civil público para investigar os danos que a contaminação do Aterro Mantovani causou aos moradores de Santo Antônio da Posse (SP), disse o procurador da República, Alexandre Camanho.Segundo o procurador, já há casos de câncer e de mortes em razão do alto índice de contaminação das águas.De acordo com o relatório, chamado O Estado Real das Águas no Brasil, produzido pela Defensoria da Água, o aterro é considerado o pior exemplo de contaminação no País. Lá foram despejados mais de 500 mil toneladas de material tóxico, contaminando rios e pessoas na região.O procurador deu entrevista na Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), durante a divulgação do documento.O procurador acredita que a curto prazo esse relatório vai originar 30 ações cíveis e criminais na Justiça, com pedidos de indenização às populações prejudicadas pela poluição, de custeio de tratamento médico e de recuperação de danos ambientais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.