Até quem faltou no 1º turno deve votar hoje

Desta vez, com disputa reduzida, eleitor só vai pressionar três botões

Guilherme Scarance, O Estadao de S.Paulo

26 de outubro de 2008 | 00h00

Vinte segundos é o tempo médio que o eleitor levará hoje para votar, segundo a previsão da Justiça Eleitoral. As regras são basicamente as mesmas do primeiro turno - todos os cidadãos de 18 a 70 anos devem ir às urnas, das 8 às 17 horas, com título de eleitor ou documento oficial com foto. Recomenda-se levar "cola" com o número do candidato. Aqueles que não votaram no primeiro turno, no dia 5, podem e devem participar.O procedimento, agora, é mais simples, pois só há votação para prefeito. O eleitor terá de pressionar três teclas - os dois algarismos do número do seu candidato (igual ao do partido) e a tecla "confirma". Há um botão específico para votar em branco e, para anular, é preciso digitar "00" e "confirma".Quem faltou no primeiro turno deve ficar atento ao prazo para justificar a ausência, que é de 60 dias. Quem não comparecer hoje à seção eleitoral também deverá justificar a ausência - o prazo é o mesmo, de 60 dias, mas conta a partir de hoje.OBRIGATORIEDADETodos os alfabetizados maiores de 18 anos e menores de 70 são obrigados a votar. O voto é opcional dos 16 aos 18 ou depois dos 70 anos. A ausência, sem justificativa, acarreta uma série de punições. A pessoa está sujeita a multa, além de ficar impedida de participar de concurso público, de obter passaporte ou carteira de identidade e de tomar empréstimo em estabelecimentos do governo, entre outras sanções.Quem não votar em três turnos consecutivos - para a Justiça Eleitoral, cada um deles é considerado como eleição independente -, terá o título cancelado.Para justificar a ausência, hoje, o eleitor pode obter o formulário na internet (www.tre-sp.gov.br ou www.tse.gov.br), preenchê-lo e entregar em qualquer local de votação. Pode também retirá-lo nas seções eleitorais.Em São Paulo, dúvidas de última hora são esclarecidas pelo próprio Tribunal Regional Eleitoral (TRE), pelo telefone 2858-2100, ou nos endereços eletrônicos citados.PROIBIÇÕESMilitante que for às ruas deve estar atento à lista de proibições: aglomeração de pessoas e veículos com material de propaganda, uso de alto-falantes e realização de comícios ou carreatas, reunir ou transportar eleitores, fazer boca-de-urna ou propaganda em cartazes, camisas, bonés, broches ou adesivos em vestuário estão vetados. Manifestações pessoais, mas silenciosas, são permitidas. A lei seca é definida pela Secretaria de Segurança de cada Estado. Em São Paulo, não haverá restrição. A capital paulista terá esquema especial de trânsito nos principais corredores - a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vai monitorar o tráfego de veículos a partir de zero hora, até as 24 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.