"Até irresponsabilidade tem limite", diz líder do PT para senador

Os aliados do governo respiraram aliviados com o conteúdo do discurso do senador Almeida Lima (PDT-SE), pois ele não apresentou fato vinculando o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, ao caso Waldomiro Diniz. "A montanha rugiu, rugiu, e não pariu um rato, porque nem estatura teve", disse a líder do PT, Ideli Salvati (SC), em pronunciamento da tribuna, logo depois do pedetista. ?Lamentou que o País "esteja sujeito a esse tipo de irresponsabilidade dos que estão apostando na paralisação do governo e do Congresso", disse. "O que aconteceu hoje é algo tão ridículo, tão fora de propósito, que só podemos lamentar". "Até irresponsabilidade tem limite".O líder do governo no Senado, Aloizio Merca dante (PT-SP), que era só sorrisos, ouviu do senador Tião Viana (PT-AC), esta frase, assim que Almeida Lima terminou o discurso: "Ele é um soltador de traque". "Ele pariu um rato", disse também a senadora Ana Júlia (PT-PA). Os senadores Jefferson Peres ( AM), líder do PDT, e Demóstenes Torres (PFL-GO) minimizaram a denúncia, mas entendem que houve negligência da parte do ministro José Dirceu, que não teria tomado providências diante das denúncias de irregularidades praticadas por Waldomiro, levantadas pe lo Ministério Público. "Houve, no mínimo, negligência", observou Peres. "Isso pode reforçar o ânimo de fazer CPI". Demóstenes Torres, por seu turno, disse que o senador "demonstrou que houve negligência, mas lamentou que não tivesse apresentado documento comprobatório. "Nós esperávamos um documento", admitiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.