Associação defende cumprimento de teto no Judiciário

O procurador José Carlos Cosenzo, presidente da Associação dos Membros do Ministério Público (Conamp), principal entidade de classe dos promotores e procuradores de Justiça, disse na terça-feira que os supersalários "são desconfortáveis" para a instituição, informou o Estado. Cerca de 45% dos procuradores no País ganham acima do teto constitucional, de R$ 24,5 mil. O maior salário é o de Antonio de Pádua Bertone, corregedor em São Paulo, que recebe R$ 55 mil. Bertone, que tomará posse nesta quarta-feira no cargo de corregedor-geral do Ministério Público de São Paulo, sustenta que seu holerite chegou a essa cifra por força de decisão judicial. O levantamento completo dos vencimentos está sendo feito pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), que não se manifestará enquanto o mapeamento não for concluído.

Agencia Estado,

10 Janeiro 2007 | 12h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.