Associação de juízes fará pressão para mudar reforma

A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) anunciou nesta quinta-feira que pretende fazer em agosto um mutirão para alterar pontos polêmicos da reforma do Judiciário aprovada pelo Senado. A principal queixa é a criação de súmulas vinculantes, pela qual os juízes de instâncias inferiores terão de decidir de acordo com os entendimentos dos tribunais.O coordenador da comissão de reforma do judiciário da AMB, Mozart Valadares Pires, disse que a entidade convocará os presidentes das associações de magistrados de todo o País para acompanhar pessoalmente a votação dos destaques da reforma, em agosto.O presidente da AMB, Cláudio Baldino Maciel, disse esperar mudanças no texto, sobretudo na súmula vinculante, no Conselho Nacional de Justiça (órgão de controle externo do Judiciário) e nas eleições diretas para os tribunais. "O texto base não ataca de frente os principais problemas do Poder Judiciário brasileiro, como a morosidade e a burocracia dos serviços jurisdicionais", disse Maciel.Já o presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Jorge Maurique, comemorou a aprovação do texto básico da reforma. "Mais do que um primeiro passo, foi um movimento fundamental do Congresso após 12 anos de tramitação", disse. No entanto, ele concorda que a reforma do Judiciário não tornará mais ágil a tramitação de processos. "Ela vai é abrir caminhos para que possamos promover as mudanças necessárias na legislação", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.