Associação de delegados critica vazamento da Satiagraha

Não é possível cobrar respeito ao Estado Democrático quando ocorre esse tipo de violação, afirma entidade

da Redação, estadao.com.br

10 de março de 2009 | 16h18

Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal divulgou nota nesta terça-feira, 10, criticando a violação de suposto material apreendido contendo informações da Operação Satiagraha, divulgados pela revista Veja desta semana. "É preciso ser exemplar quando se quer cobrar respeito ao Estado Democrático de Direito. Isso não é possível com a violação de uma investigação que tramita em segredo de justiça", diz a nota.   Veja também:  'Sou candidato a carcereiro de Daniel Dantas', diz Protógenes  Justiça quebra sigilo de Protógenes  Novas acusações a Protógenes não mudam investigação, diz PF  Em blog, Protógenes se defende de acusações de revista Operação Satiagraha As prisões de Daniel Dantas Os alvos da Operação Satiagraha   Segundo a revista, o delegado Protógenes Queiroz, que esteve sob o comando da operação que prendeu o banqueiro Daniel Dantas, teria espionado ilegalmente a vida de autoridades, como a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff; o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes; a ante-sala do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto; o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, além de deputados, senadores e advogados.   As informações, ainda segundo a publicação, estariam em um computador apreendido na casa de Protógenes, o que ele nega. "Não há fragmento de indício que envolva o presidente do STF, ministros de Estado, senadores", disse durante evento ontem, referindo-se às investigações da Operação Satiagraha. "A ministra Dilma Rousseff e o ex-ministro José Dirceu não foram alvo dessa investigação nem tampouco senadores."   Sobre a investigação da conduta de Protógenes, diz a nota: "Não é aceitável que segmentos da mídia se esforcem tanto em apurar os procedimentos do Delegado de Polícia Federal Protógenes Queiroz sem dedicar, ao menos, igual esforço para a apuração dos fatos principais da Operação Satiagraha envolvendo o empresário Daniel Dantas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.