Associação de bingos diz que MP demitirá 320 mil pessoas

O presidente da Associação Brasileira de Bingos (Abrabin), Olavo Salles, informou na noite desta sexta-feira, em nota, que a decisão do governo federal de proibir o funcionamento de bingos e caça-níqueis transfere a 320 mil trabalhadores e suas famílias o "ônus de um drama para o qual eles não contribuíram e que não ajudará em nada o País". Segundo ele, o bicheiro Carlinhos Cachoeira, que aparece em fita negociando propina com o ex-assessor da Casa Civil, Waldomiro Diniz, representa uma empresa sul-coreana de sistemas lotéricos e nada tem a ver com bingo.A Abrabin afirma que a interrupção da atividade dos bingos fortalecerá o jogo clandestino e as atividades associadas à criminalidade. Segundo Salles, as casas de bingos obedecem as regras e são um segmento lícito, desligado da contravenção e de atividades irregulares.O presidente da Abrabin disse que foi ponderada e correta a mensagem do presidente Lula ao Congresso, na semana passada, quando defendeu a regulamentação do bingo. "A aprovação de uma lei rigorosa, séria e transparente para o setor tem sido a luta permanente da associação", afirmou. Salles disse que a MP, "um ato simbólico do governo", não solucionará a atual crise política e "criará outros tantos (problemas) que poderão, eventualmente, ser ainda mais graves que os atuais".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.