Assim como Lula, Aécio deve percorrer o País, diz Alckmin

Governador de SP relembra as Caravanas da Cidadania feitas pelo petista e sugere que provável candidato tucano à Presidência 'sinta os problemas' do Brasil

Luciano Bottini - O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2013 | 19h34

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, defendeu nesta segunda-feira, 20, que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), provável candidato do PSDB à Presidência, percorra o País como fez o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva antes de chegar ao Planalto. "Uma coisa correta que o presidente Lula fez quando perdeu a eleição para o Fernando Henrique foram as chamadas Caravanas da Cidadania. Ele percorreu o País, o interior, o norte do Mato Grosso, as áreas de novas fronteiras agrícolas, o semiárido, percorreu o País, foi importante, você está mais perto do povo, você ouvir a população, sentir os problemas da população. Então, como esse ano não tem eleição, não é hora de cuidar de eleição. Mas acho que Aécio deve liderar esse trabalho, quem puder vai junto, no sentido de percorrer o Brasil, sentindo os problemas, os desafios, até para elaborar um bom programa de trabalho".

 

As Caravanas da Cidadania foram feitas de 1993 a 1996 por Lula, que percorreu 359 cidades do País em 26 Estados. Aécio confirmou ao Estado, um dia antes da convenção nacional do PSDB que o elegeu presidente do partido, que fará viagens quinzenais pelo País. O mineiro admitiu que essa é uma estratégia para "reaproximar o PSDB dos brasileiros". As viagens serviriam também para o partido formular seu programa de governo.

 

Segundo Alckmin, as prioridades da oposição devem ser "emprego e renda". "O Brasil precisa ter competitividade, não deixar a economia andar de lado." O tucano classificou a convenção que elegeu Aécio de "festa da unidade". "Todas as lideranças dos PSDB estavam presentes. Eu sempre defendi que esse ano não é para escolher candidato. É preciso percorrer o País, é preciso ouvir a população", afirmou Alckmin.

 

Nova PPP. Alckmin esteve em Guarulhos na manhã desta segunda para o lançamento do edital da primeira Parceria Público-Privada (PPP) na área farmacêutica, que será publicado nesta terça, 21, no Diário Oficial. A nova fábrica da Fundação Para o Remédio Popular (Furp), maior fabricante estatal de medicamentos da América Latina, ficará em Américo Brasiliense.

 

O edital será aberto para análise pública dos concorrentes por 60 dias, com previsão de investimentos privados de R$ 130 milhões em cinco anos. A empresa vencedora, que poderá ser de outro País, ficará responsável pela gestão da fábrica e assessoria de novos produtos.

 

A Furp também deverá aumentar sua linha de produtos na fábrica de Guarulhos. A estimativa é que o faturamento passe de R$ 150 milhões anuais para cerca de R$ 500 milhões em 2014.

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
AclkminCaravanas da CidadaniaAécio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.