Assessoria recua e diz que Lula fará caminhada ao Congresso

A Assessoria de Imprensa do Palácio do Planalto, depois de ter informado, pela manhã, que havia sido cancelada a caminhada programada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para se dirigir ao Congresso, amanhã, e entregar as propostas de reformas tributária e previdenciária, corrigiu agora à noite a informação e disse que "provavelmente" o presidente irá, sim, a pé até o prédio do Legislativo. Os assessores de Lula disseram que a caminhada está programada para as 16 horas e que governadores acompanharão o presidente. O formato do encaminhamento das propostas consumiu hoje várias horas de discussões no dia de hoje, no Planalto. Entre os assessores de Lula, havia claras divergências sobre o assunto. O primeiro anúncio de que o presidente atravessaria a pé a Praça dos Três Poderes para levar as propostas de reformas ao Congresso foi feito pelo próprio Lula. Depois disso, houve quem tentasse convencê-lo do contrário, alegando que isso não deveria ser feito, pois Lula pareceria estar imitando o ex-presidente Fernando Collor, que levou ao Congresso o seu primeiro plano econômico, chamado Plano Collor, também em caminhada ao lado de seus ministros, no dia 16 de março de 1990. Na tarde de hoje, enquanto o ministro-chefe da Casa Civil, articulador político do governo, José Dirceu, rejeitava a idéia de Lula atravessar a rua acompanhado dos governadores e com as propostas na mão, o chefe de Gabinete presidencial, Gilberto Carvalho, afirmava que Lula e os governadores deveriam descer a rampa e seguir a pé até o Congresso. Governadores que já estavam em Brasília se limitavam a relatar que o presidente Lula lhes dissera que a reunião estava confirmada para às 15 horas, no Planalto, quando definiriam como iriam ao Congresso às 16 horas. A princípio, o presidente e os governadores entregarão as propostas ao presidente da Câmara, João Paulo Cunha, mas o presidente do Senado, José Sarney, também deverá estar presente à cerimônia.Sessão soleneO presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), afirmou, no início da noite desta terça-feira, que será realizada amanhã uma sessão solene, às 16 horas, para receber o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que entregará ao Congresso as propostas do governo da reforma da Previdência e da reforma tributária. João Paulo disse que já confirmaram a presença na sessão 24 governadores de Estado, além de diversos prefeitos de capitais. Veja o índice de notícias sobre as reformas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.