Assessores de Orlando teriam ajudado PM, diz revista

A edição da revista Veja que circula a partir de hoje traz novas denúncias de corrupção envolvendo o Ministério do Esporte. Segundo a revista, assessores do ministro Orlando Silva, titular da pasta, teriam ajudado o policial João Dias Ferreira a se livrar de eventual punição, orientando-o sobre como poderia enganar a fiscalização do próprio ministério.

EQUIPE AE, Agência Estado

22 de outubro de 2011 | 17h07

Na semana passada, Veja havia trazido entrevista com Ferreira, na qual o militante do PCdoB detalhara o funcionamento de um esquema do qual ele próprio fazia parte, em que verbas desviadas do programa Segundo Tempo teriam inclusive beneficiado o ministro Silva.

Na edição deste sábado, Veja publicou que teve acesso a uma conversa - gravada pelo próprio policial - entre Ferreira e dois assessores de Orlando Silva. A conversa foi gravada durante uma reunião em 2008, da qual participaram Fábio Hansen, então chefe de gabinete da Secretaria de Esporte Educacional, que cuida do programa Segundo Tempo, e Charles Rocha, chefe de gabinete da secretaria executiva do ministério, além do policial.

Dias Ferreira estava preocupado com um documento enviado à Polícia Federal pelo próprio ministério, responsabilizando-o por irregularidades na execução do programa Segundo Tempo pela ONG por ele capitaneada.

A conversa revela que todos estavam ali para tentar salvar a pele do policial, ajudando-o a identificar procedimentos que levariam ao arquivamento das investigações.

Ontem, Silva se reuniu com a presidente Dilma Rousseff para se defender das acusações de corrupção. Após o encontro, o ministro disse que a orientação da presidente foi para que ele continuasse trabalhando.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.