Assessor nega conselho de Lula a Paulo Octávio

Informação contradiz pronunciamento do vice-governador, que afirmou ter atendido apelo do presidente

Leonencio Nossa, da Agência Estado,

18 de fevereiro de 2010 | 18h16

No encontro que teve na manhã desta quinta-feira, 18, com o governador em exercício do Distrito Federal Paulo Octávio (DEM), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi categórico ao evitar qualquer recomendação para sua permanência no cargo. "Essa é uma decisão sua, de foro íntimo", disse Lula, negando qualquer apoio a Paulo Octávio, de acordo com um dos participantes do encontro.

 

Veja também:

linkPaulo Octávio decide continuar no governo

 

A informação contradiz pronunciamento de Paulo Octávio, que na tarde desta quinta-feira disse ter atendido a vários apelos para desistir de apresentar sua renúncia, citando inclusive Lula. Segundo o governador em exercício, durante encontro realizado na manhã desta quinta-feira, o presidente o aconselhou a aguardar mais alguns dias.

"Não houve nenhum conselho do presidente Lula para o governador em exercício no encontro desta manhã", contou o assessor do presidente. No encontro, Paulo Octávio disse a Lula que analisava a hipótese de renunciar.

Mais cedo, pouco antes de Paulo Octávio fazer o comunicado no Palácio do Buriti de sua permanência, o ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, divulgou nota afirmando que não cabe ao presidente da República qualquer opinião ou interferência no assunto.

Lula, ao ouvir o relato de assessores sobre o pronunciamento de Paulo Octávio, demonstrou irritação e chegou a comentar que o governador em exercício teria faltado com a verdade.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoDFLulaPaulo Octávio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.