Assessor nacional da Funai morre em Pernambuco

O assessor da Funai para assuntos do Nordeste, Wilton Madson Andrada, 46 anos, morreu no final da tarde de ontem em um acidente de carro, na BR-423, quando viajava para Águas Belas, no agreste de Pernambuco, para uma reunião com o Incra e índios fulni-ô. Ele teve traumatismo craniano e morreu na hora. Os outros ocupantes do veículo, um Fiat Uno, eram o motorista Severino Dantas - que teve fratura exposta no cotovelo -, o administrador da Funai em Pernambuco, Manoel Barros Sobrinho, que fraturou a clavícula, e a mulher deste, Jocilene Barros, que nada sofreu. O acidente ocorreu no município de Iatí, a 288 quilômetros do Recife, localizado entre Garanhuns - de onde eles haviam saído - e Águas Belas. Todos foram levados ao hospital Monte Sinai, em Garanhuns.O corpo de Andrada seguiria na tarde de hoje, de avião, para Montes Claros (MG), onde mora sua família. Manoel Barros foi liberado pela manhã e o motorista permaneceu no hospital, em observação. De acordo com o médico de plantão do hospital, Roberto Duarte, o motorista teria tentado desviar de um carro que vinha em sentido contrário, perdeu a direção e capotou.A superintendente do Incra no Recife, Maria de Oliveira, informou que a Funai e o Incra assinaram um termo de cooperação visando a encontrar áreas alternativas para resolver problemas de conflitos envolvendo terras indígenas e o encontro em Águas Belas iria tratar deste assunto. Ela lamentou a morte de Andrada e frisou que os servidores públicos estão sobrecarregados na busca de enfrentar os muitos complicadores envolvendo terra em Pernambuco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.