Imagem Adriana Fernandes
Colunista
Adriana Fernandes
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Assessor deixa empresa alvo de denúncias e é nomeado para a Fazenda

Nomeação foi publicada no Diário Oficial da União nesta quarta, mesmo dia em que chefe de gabinete do ministro, acusado de receber propina, foi exonerado

Adriana Fernandes, Agência Estado

11 Dezembro 2013 | 11h24

Brasília - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, nomeou nesta quarta-feira, 11, Guilherme Barros como seu assessor especial. Ele continuará exercendo a função de assessor de comunicação, mas se desligou da empresa Partners, que desde o início do ano presta serviço de comunicação ao ministério e foi alvo de denúncias de desvio de recursos em contratos com a pasta.

O ministério da Fazenda já informou que não renovará o contrato de prestação de serviços com a Partners. A nomeação de Barros foi publicada nesta quarta no Diário Oficial da União, que traz também a exoneração do ex-chefe do gabinete do ministro, Marcelo Fiche, envolvido nas denúncias publicadas em novembro pela Revista Época.

Fiche e outro ex-assessor do gabinete de Mantega, Humberto Alencar, são acusados de terem recebido propina em um contrato do Ministério da Fazenda com a empresa Partners. Ambos negam.

Investigação. A Polícia Federal abriu inquérito para investigar o caso de Fiche e Humberto, que, após retornarem de um período de férias, foram afastados do cargo. A Comissão de Fiscalização e Controle do Senado aprovou na terça um requerimento de convite para que ambos expliquem as denúncias.

A Comissão também aprovou convite para ouvir uma ex-funcionária da empresa de comunicação Partners para prestar esclarecimentos sobre o ocorrido. Era ela quem, segundo a revista, fazia a intermediação dos repasses de dinheiro. Por se tratar de convite, eles não são obrigados a comparecer ao Senado.

Mais conteúdo sobre:
Guido Mantega Ministério da Fazenda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.