Assessor de tucano preso pela PF é libertado

O chefe de gabinete do deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), Amauri Escudero foi liberado no fim da tarde desta segunda-feira, beneficiado por um habeas-corpus. Ele tinha sido preso no início da manhã, a pedido da Polícia Federal, para que prestasse depoimento. Escudero era suspeito de ter se apoderado de documentos considerados sigilosos pela Polícia referente a hidrelétrica Itaipu binacional.Amauri Escudero não compareceu ao depoimento marcado pela Polícia Federal no último dia 23, em Curitiba, como parte das investigações da Operação Castores. A ausência abriu a possibilidade de Escudeiro ter sua prisão decretada pela Justiça. O assessor já escapara da prisão quando a operação foi desencadeada pela PF, na terça-feira da semana passada. Na ocasião, seis pessoas foram presas em Curitiba, São Paulo e Brasília, sob acusação de participarem de quadrilha envolvida em esquema de fraudes contra as empresas Itaipu, Furnas, Eletrosul e Eletronorte. Escudero recebia uma mala de documentos do principal suspeito de formar a quadrilha, o ex-funcionário de Itaipu Laércio Pedroso, no momento em que Pedroso foi preso. Pedroso, que deixou Itaipu em 1992, tinha um depoimento marcado na Comissão de Relações Exteriores da Câmara no dia seguinte, para falar de irregularidades em Itaipu que já havia denunciado pela imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.