Assessor de Mão Santa nega doação irregular

Doca Lustosa, assessor do senador Mão Santa (PMDB-PI), admitiu ontem ao Estado que combinou doação de campanha com o representante da Fiesp Luiz Henrique Bezerra. Segundo ele, o valor do depósito - posto sob suspeita pela Polícia Federal durante a Operação Castelo de Areia - é de R$ 200 mil, em benefício da mulher de Mão Santa, Adalgisa Carvalho, candidata derrotada à Prefeitura de Parnaíba (PI). Lustosa ressaltou que o depósito foi feito "dentro da legalidade" e negou que o dinheiro fosse da empreiteira Camargo Corrêa. Segundo ele, o valor foi depositado na conta do PMDB do Piauí pela Galvasud S.A., empresa controlada pela Companhia Siderúrgica Nacional. O montante foi declarado e consta na base de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).A suspeita da PF sobre Lustosa tem como base grampo telefônico em que ele diz ao representante da Fiesp que seria "melhor" que o comprovante do depósito, supostamente em nome da Camargo Corrêa, fosse enviado ao seu e-mail pessoal, e não ao seu endereço institucional do Senado - indício de que o depósito não teria sido feito "às claras".

Roberto Almeida e Eugênia Lopes, O Estadao de S.Paulo

31 de março de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.