Assentados invadem sede do Incra no interior de SP

Cerca de 100 assentados invadiram hoje o escritório do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Teodoro Sampaio, no Pontal do Paranapanema, extremo oeste do Estado de São Paulo.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

25 de agosto de 2010 | 20h37

O grupo do Assentamento Dona Carmen, ligado ao Movimento dos Sem-Terra (MST), protestava contra a falta de liberação de verbas para o plantio e a perfuração de poços. De acordo com a líder Aparecida de Jesus Pereira, as verbas teriam sido retidas porque os assentados não aceitaram que o serviço de aração dos lotes e construção dos poços fosse feito por uma empresa de Andradina.

Segundo ela, o serviço foi executado por outra empresa a um custo menor, mas o Incra não liberou o pagamento. Os assentados pretendiam passar a noite acampados em frente ao prédio. A superintendência do Incra em São Paulo não se manifestou. Um funcionário informou que as verbas não tinham sido liberadas porque a associação dos assentados não cumpriu formalidades legais, como a tomada de preços, na execução dos serviços.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.