Assembleia Legislativa do PR aprova proposta de reajuste para funcionalismo

Proposta foi definida pelo governador Requião, que deve se desincompatibilizar na próxima semana

Evandro Fadel, da Agência Estado

23 de março de 2010 | 10h30

A Assembleia Legislativa do Paraná aprovou, na noite de segunda-feira, 22, a proposta do governo do Estado que concede reajuste de 5% para o funcionalismo público, com aumento maior para os policiais civis, que ficará entre 22% e 77%, e para os policiais militares, entre 23% e 55%. A proposta de reajuste definida pelo governador Roberto Requião (PMDB), que deve se desincompatibilizar na próxima semana para concorrer provavelmente ao Senado, tinha sido entregue pessoalmente aos deputados pelo vice-governador Orlando Pessuti (PMDB), candidato ao governo.

 

Os 252,2 mil servidores da ativa, aposentados e pensionistas terão o reajuste a partir de maio. Segundo o governo, isso implicará em aumento de R$ 67,7 milhões na folha de pagamento por mês, que ficará próximo de R$ 750 milhões. Todos os lugares destinados a visitantes da Assembleia Legislativa ficaram lotados por policiais e suas mulheres. O projeto acabou aprovado por unanimidade, sem que as emendas alterassem os valores de reajuste. No caso dos policiais militares, o vencimento base de um soldado passa de R$ 1.873,74 para R$ 2.289,57.

 

Pessuti esteve na Casa pouco antes do início da votação para entregar mais dois anteprojetos de lei. O primeiro visa tornar permanente o processo de capacitação de professores da rede pública introduzido no atual governo, por meio do Programa de Desenvolvimento Educacional. O segundo torna obrigatório um repasse anual de recursos para instituições que se dedicam ao ensino especial, por meio do Programa de Apoio às Instituições Filantrópicas. O governo tem investido cerca de R$ 4,5 milhões ao ano para pagamento de pessoal que trabalha com educação especial, além de destinar R$ 20 por aluno na rede conveniada.

Tudo o que sabemos sobre:
ParanaAssembleia Legislativareajuste

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.