Assembleia do RS aprova reajuste para 518 nomeados

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul aprovou hoje em sessão extraordinária um pacote de projetos apresentados pelo governador Tarso Genro (PT). A proposta mais polêmica foi o reajuste dos vencimentos de 518 coordenadores de área, de valores entre R$ 1,3 a R$ 1,8 mil para R$ 4,3 mil mensais.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

11 de janeiro de 2011 | 20h00

Alguns deputados da oposição, formada pelo PMDB, PSDB, PPS, PP e DEM, bombardearem o projeto por entenderem que ele vai favorecer militantes dos partidos da situação que serão nomeados para os cargos. Os parlamentares da base aliada sustentaram que o reajuste torna o cargo atrativo a bons técnicos que o governo vai buscar no mercado. O aumento foi aprovado por 28 votos a 18. O impacto para os cofres do Estado é estimado em R$ 18,8 milhões por ano pela bancada do PT.

Outro projeto, perdoando dívidas de R$ 62,7 milhões que 45 mil pequenos agricultores têm com o Estado também gerou alguns debates, mas acabou aprovado por 42 votos a zero. Os deputados também concordaram, por maioria, com a extinção de 148 cargos de confiança com vencimentos inferiores a R$ 1 mil por mês, a limitação dos vencimentos de diretores de estatais e autarquias ao teto do Estado, de R$ 24 mil, e a mudança da vinculação da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro), da Secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento, para a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio.

Tudo o que sabemos sobre:
AssembleiaprojetosTarsoRS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.